março 31, 2008

Fui à missa

Apesar de nunca ir, ou pelo menos, muitooooooooooooooooooo raramente ir à igreja quando ela não está às moscas, fui à missa.
 
Não a uma missa "enchente", só a uma missa com vizinhos, a maior parte deles andou comigo ao colo, os restantes fui eu que andei com eles ao colo, ou andei com a mãe e o pai deles na escola e nos Bailes de Verão.
 
Isto tudo só para dizer... que até gosto de lá ir, claro que tem uma influência extrema o padre que lá vai.
É dificil para mim ir a uma missa onde não conheço o padre como pessoa; só ouvir falar sem saber se pratica ... não me diz muito, gosto mais de o encontrar no meio dos meus vizinhos, nas festas, ou até às compras.
 
Mas adorei o discurso do padre Victor, disse aquilo que digo muitas vezes e acabo sempre a escandalizar alguém.
 
Desta vez não contou nenhuma anedota para ilustrar o que queria dizer.
Desta vez estava mesmo zangado.
Desta vez o padre Victor decidiu bater "no ceguinho " e dizer ali à frente de todos que não interessa irem à missa,
se se consideram mais importantes, mais ricos, ou melhores do que outras pessoas que até estão no mesmo banco da igreja ou que passam por eles na rua.
 
Falou da cadeia dos "irmãos de Cristo" (a tal cadeia que serve para quem vive "em cristo" e não para quem vai à missa)
falou que se deve ir à missa para estreitar laços com os vizinhos, com a comunidade em que estamos inseridos e não só para comungar ou porque fica bem ...
 
É sempre bom ouvir um padre com bom-senso, pena o Papa não lhe seguir o exemplo, ficava-lhe bem.
 

3 comentários:

Tiago disse...

Esse padre é basicamente um gajo porreiro com valores, e muita vontade de os transmitir. Assim deveriam ser todas as pessoas que de uma forma ou outra exercem a sua influencia sobre os os outros. Pena é que a Igreja e os seus representantes, na sua grande maioria, estejam mais preocupados com outras coisas$$$$

Alma Minha disse...

Tens 100% de razão... pena que nem todos sejam assim!
O padre cá da santa terrinha, também é assim... também se mistura com o povo!
Beijos
Obrigada pela visita

Pjsoueu disse...

Os Líderes das Igrejas, denominadas Cristãs, com mais ou menos propriedade, Não deviam ter medo de levar o povo ás origens dos "Princípios" Cristãos do I Séc.
O tempo onde Jesus Cristo, sem pudor vivia com, e, no meio do povo.
Se um rejeitado (prostitutas, ladrões, cegos, desprezados pela sociedade ou mesmo os importantes)precisava de um conselho ou ajuda lá estava Ele; se o convidavam para ir ao casamento, lá estava ele.
Demonstrando em cada gesto e palavra a importância da solidariede.