outubro 25, 2009

Afinal o que é viver mal?

Não sei se alguém viu a reportagem da SIC sobre as crianças de Moçambique que ficaram sem os pais por estes terem morrido com SIDA.
 
Se não viram, vejam.
É uma forma cruel de descermos à terra e entendermos o que é esforço por viver (mais sobreviver), aprender e por incrivel que pareça, estas crianças ainda são capazes de ajudar mais alguém.
 
Afinal de que nos queixamos nós?
Não podemos ir ao cinema todas as semanas?
Não bebemos leite todos os dias? Elas têm meia carcaça para todo o dia.
A professora daquelas crianças que até aprendem e se esforçam fica satisfeita porque os mais velhos já aguentam 12horas sem comer.
12Horas, por aqui reina a boa prática que uma criança não deve estar mais de 3 horas sem comer, excepto se estiver a dormir, ah e deve ter um bom pequeno-almoço para conseguir ter aproveitamento na escola,
 
Isto para não falar de nós adultos, que nem pensar em acabar uma refeição sem um café, ou a frutinha a meio da manhã ou sei lá mais o quê.
 
Aquelas crianças não comem, não brincam, pagam para beber água, mas mesmo assim conseguem ajudar-se e aprender!!!
 
Só o que deitei hoje para o lixo para reciclar devia dar para elas conseguirem viver um bocadinho melhor durante um mês.
 
Já vi muitas reportagens sobre a fome em África, mas confesso que esta me deixou completamente de rastos e chocada.
No meio daqueles problemas todos, daquela solidão, as crianças sobrevivem sozinhas ...
A minha não se deita sem alguém lhe contar uma história e nem sequer decora a tabuada.
E eu como demais e gasto água a mais para lavar a louça.

3 comentários:

ianita disse...

Somos comodistas... e temos luxos de que nem nos apercebemos...

Cátia disse...

Ola!

Custo vir aqui ler-te, julgo que nunca comentei... Mas com este tema.. hoje é o dia.

Não vi a reportagem, com grande pena minha... Não virei aqui dizer imensa coisa mas nao direi... Venho colocar-te um desafio porque nós podemos mudar a vida de alguém: http://helpo.pt/

Eu, a marta do confesso aqui e mais alguns amigos somos madrinhas/padrinhos de algumas crianças. Com pequenos gestos não mudamos o mundo, mas mudamos a vida de alguém. Mais informações contacta-me: catiaazenha@gmail.com

Beijo
CA

G_ticopei disse...

Pois eu aplaude em pé tudo o que li. Também vi a reportagem e fiz questão de a ver com os meus filhos para eles acreditarem naquilo que eu tantas vezes lhes conto quando começam a exigir e reivindicar prendas a toda a hora. E o certo é que eles mudaram desde aí. E têm apenas 4 e 6 anos...