setembro 10, 2009

Não me conformo

já ontem tinha lido a noticia, mas achei ridicula demais:

"Livro de Gonçalo Amaral proibido - Tribunal dá razão aos McCann"

afinal não era ridicula, fui ao fim do dia para comprar o livro e estranho, não havia um único exemplar em todas as livrarias e supers que procurei.
Mas será que é mesmo verdade que estamos a voltar ao tempo dos livros proíbidos?
Que contrapartidas teve a justiça portuguesa para aceder a uma vergonha destas?
 
Já agora, não me vão fazer nenhuma visita lá a casa para me queimarem livros, pois não?
É que eu tenho muitos que vão contra a moral e bons costumes apregoados (e não cumpridos) e mais ainda que denunciam muita coisa.
 
E hoje surgiu-me mais uma dúvida que está a crescer a olhos vistos, li num comentário pela net uma questão:
"Por que será que isto me faz associar a ideia da não revelação dos dados da Polícia Inglesa no caso Freeport?"
 
Parece uma ideia macabra, mas realmente considerando que os McCann são tão importantes, têm tanta influência que se dão ao luxo de gozar com a nossa policia (que até deixou) e com o nosso governo (que também deixou) e que as duas situações foram tão próximas, já nada me admira, porque eu cada vez mais deixei de acreditar em coincidências.
 
O que me admira é que as pessoas prefiram ser enxovalhadas (algumas das "forças vivas do país", gosto deste nome que se aprende quando andamos em organização de festas da terra), a dizerem a verdade e a enfrentarem tudo e todos.
 
Isto é um novelo que não acaba, mas agora cada vez mais vou querer o livro do Gonçalo Amaral, e vou esconder outros que tenho lá em casa. 

1 comentário:

Rui Miguel Soares disse...

Hummmm, terá sido boa estrategia dos pais da Maddy ?
É que o livro fala em como os pais da Maddy a fizeram desaparecer e eles agora fazem desaparecer um livro........
Podem querer ligar esses 2 pontos.

E sff continuem a dar-lhes tempo de atenta, só para garantir que nenhum dos gemeos desaparece.