dezembro 03, 2008

Responsabilidade por palavras e actos

Nos tempos que correm é um crime por parte dos pais ensinarem aos filhos que devem ser responsáveis pelas suas palavras e actos.

No futuro serão tratados por "tadinhas", só pode.

 

Senão vejam.

Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof em todas as reuniões promovidas pela Ministra da Educação foi irredutível não querendo negociar, na última até saiu da reunião porque só aceitava a suspensão da avaliação dos professores.

Isto depois de em tempos idos já se ter chegado a acordo, mas que ele se esqueceu porque não estava a aparecer na televisão tantas vezes quantas as queria.

Ou seja em todas elas levava pré-condições recusando-se a ouvir fosse o que fosse.

 

Agora aparece na televisão a dizer que é necessário negociar e ir promover uma reunião sem pré-condições por parte da Ministra.

Claro que isto quer dizer: o Governo não pode colocar condições mas eles sim.

 

Interessante, quem sempre levou condições foram eles, ou já se esqueceu?

Será que os restantes Portugueses também se esqueceram?

 

Bom, mas melhor exemplo de já nada significa "responsável por actos e palavras", não há.

 

Por mim colocaria este senhor na Wikipedia como exemplo da "não responsabilidade".

2 comentários:

marta disse...

Estou completamente de acordo. Aliás, já aqui li vários posts sobre este assunto e concordei com todos eles. Infelizmente parece que há muita gente que se esquece que foram os "pobrezinhos" dos queixosos que faltaram ao acordo.
Quem sempre avaliou, não está disposto a ser avaliado, ponto final. Inventem as deculpas que quiserem.

Marco Rebelo disse...

sou cigano.ta td dito.hehehe :)