dezembro 17, 2007

E voltamos ao mesmo

Todos os dias a oposição (e não só, parece que o Sr. Mário Soares também tem qualquer coisita a dizer) reclama que deve existir um referendo sobre o "Tratado de Lisboa" ou sobre "a possibilidade de um aeroporto na Ota", ou sobre "um TGV", ou outro qualquer assunto que influencie o País (e não só a nossa casa).

 

Mas afinal para que existem eleições?

Para que nos damos ao trabalho de escolher políticos minimamente competentes para tomarem decisões?

Para que lhes pagamos todos os dias o ordenado?

 

Não será para estudarem, pensarem, tomarem decisões sobre assuntos para os quais não estou minimamente habilitada para tomar uma decisão, nem eu, nem o comum dos mortais?

 

Alguns "iluminados" que teimam em exigir um referendo, nem tão pouco estão capacitados para decidir sobre o assunto e qualquer decisão vinda desses mesmos "iluminados" baseada nos mais diversos princípios, morais e bons costumes, "que jeito dava", preconceitos ou outro motivo qualquer, tão inválido como os anteriores só servirá para retirar funções e trabalho ao governo eleito por nós, ou pelo menos pela maioria.

 

Cada vez que ouço falar "é preciso um referendo" … até me arrepio! Será que tenho que ir estudar a constituição? Será que devo tirar um curso de engenharia? Será que se tiver explicações de Inglês também posso discursar numa cimeira qualquer?

 

E já agora qual o critério para se fazer ou não um referendo? Existem critérios de selecção? Tipo:

- "oh lá, lá… isto pode prejudicar o preço do meu terreno e da minha casa, talvez seja melhor começar já a orientar o pensamento dos meus vizinhos, dos vendedores de rua, dos taxistas, dos camionistas, … e por fim lançar uma campanha "Pró-Referendo!"

Ou então:

- "eles estão a ganhar terreno, por este andar vão ganhar as próximas eleições, é melhor iniciar já o "circo" para que se mantenham distraídos de outros problemas."

Ou ainda:

- "Hmmm! Preciso mostrar-me inteligente e conhecedor do assunto, umas frases do livro estrangeiro que tenho lá em casa vão ajudar-me; se descobrem que tenho empresas envolvidas no projecto perco a jogada; tenho que me manter do contra para que não desconfiem"

 

Ou melhor o que gostava de saber era mesmo … são só estes os critérios de decisão?

1 comentário:

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Que o Novo Ano Vos traga ...
cor, calor, alegria, magia, energia, felicidade, simpatia, paz, saúde, amizade, amor, sentimentos, emoções, agitações, lágrimas e canções...tostões

Que cada dia de 2008 vos faça ...
sentir, sorrir, sonhar, imaginar , acreditar e Viver com toda a intensidade que merecem.
Aprendam, sintam, reagam, lutem pelo melhor,acreditem!

Que seja um Ano de...
paz, tolerância, compreensão, conforto, justiça e Amor

Que estes números mágicos... 2008 nos unam cada vez mais e intensifiquem a amizade que nos une e a cumplicidade que nos caracteriza. Sejam felizes e façam felizes alguém... todos os dias e por favor, cheguem ao fim do ano e digam:
Caramba, Valeu a pena!!!!
Desejo-vos o melhor ano de sempre, durante o qual alcancem os vossos melhores e mais secretos sonhos e que realizem e concretizem os melhores objectivos.
Beijinhos

BOM ANO!!!!!!!